Programação final do Projeto “Fotoativa em Residência” será no Museu da UFPA

Após dois meses de convívio, os residentes do projeto “Fotoativa em Residência – dois de cá, dois de lá" mostram os resultados dessa experiência de encontros e consequentes trocas e contaminações simbólicas. Débora Flor, Wellington Romário, Malu Teodoro e Randolpho Lamonier apresentam um relato aberto ao público no dia 9 de junho e no dia 12 abrem exposição no Museu da UFPA com o resultado de suas pesquisas em Belém. O projeto foi contemplado com o Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11ª Edição, do Ministério da Cultura. Os quatro artistas vão residir no museu durante a montagem das obras.

De acordo com os curadores Armando Queiroz e Alexandre Sequeira, a programação apresenta o percurso dos artistas na busca por enunciações  poéticas que se refiram a esses processos de diálogos. “A meu ver, este é um projeto diferente. Na minha cabeça, não estou preocupado com um resultado expositivo, mas no que estas quatro pessoas deixam do seu convívio com outras pessoas, uma resposta a momentos tão duros, objetivos, de uma cidade tão entregue à violência, ao não olhar o outro. O senso de coletividade, de compartilhamento é fundamental. E eles trouxeram isso”, diz Armando Queiroz.

Alexandre Sequeira também enfatiza que o que se pode compreender como um “resultado final” do projeto não se restringe a uma apresentação de imagens fotográficas - considerando-as num sentido material e concreto, mas sim de impressões, imagens “em potência”, sugestões do que representou essa imersão para os quatro artistas. Um resultado que sinaliza mais para uma celebração poética da potência do encontro - encontro que dilui limites de enunciados pessoais.

“Nesse sentido, a conformação da exposição se faz pela reunião de rastros, indícios, sinais de encontros e de contaminação simbólica; evidências do quanto essas pessoas afetaram e se deixaram ser afetadas umas pelas outras, como também pela cidade nessa experiência de permanência num outro território. Não é algo que pretende dar conta da questão por obras fechadas, mas acima de tudo pela perspectiva aberta e experimental que caracteriza o projeto em sua essência”, diz Alexandre. 

 

A imagem

Além de questões do afeto - uma constante nos trabalhos de todos os artistas, há também uma busca por um entendimento mais ampliado da imagem fotográfica, como possibilidade sensível do olhar que recorta fragmentos do mundo e emite enunciados capazes de reverberar e sensibilizar outros olhares. Ação que busca estimular a investigação de novas experiências artísticas abertas à intersecção com as mais variadas formas de linguagem. Essa característica se constitui numa marca indissociável da Associação Fotoativa ao longo dos mais de 30 anos de ação na capital paraense. O projeto “Fotoativa em Residência” é mais uma etapa desse compromisso da entidade, na formação de indivíduos que atuam em seu meio numa perspectiva, sensível, crítica e transformadora. 

 

 

 

 

 

 

Serviço

Programação final do projeto “Fotoativa em Residência – Dois de cá, dois de lá” será no dia 09/06, com um relato dos artistas; dia 12/06 com abertura de exposição e dia 14/06 com um evento na sede da Associação Fotoativa (Praça Barão do Rio Branco, nº 19, Largo das Mercês – bairro da Campina. Participação gratuita. Informações: (91) 3225-2754 ou (91) 98226 4094 / www.fotoativa.org.br

Publicado em: 26.01.2015 12:30
 Documento sem título