Envelhecimento Humano na Amazônia: crenças dos cuidadores e sua relação com a qualidade de vida e desempenho cognitivo de idosos de contextos urbano e ribeirinho


Descrição: O Brasil vive um momento de transição demográfica, caracterizado pelo aumento da expectativa de vida, esse cenário, requer a implementação de políticas públicas voltadas ao atendimento do idoso que está vivenciando o processo do envelhecimento e muitas vezes necessitam de cuidados, para a realização das atividades de vida diária, que por razões diversas não podem ser oferecidos pelos familiares.
Tomamos como pressuposto norteador para o estudo o conceito de Nicho Desenvolvimental proposto por Super e Harkness (1986), ou seja, o ambiente físico e social que o idoso esta inserido, a psicologia dos cuidadores (suas crenças, concepções sobre envelhercer, idoso etc) e as práticas de cuidado, como aspectos que influenciam o curso do desenvolvimento. Assim, o presente estudo pretende compreender a relação entre as crenças e práticas de cuidadores (formais e informais) e a qualidade de vida e desempenho cognitivo de idosos em dois contextos urbano e ribeirinho. Participarão 60 idosos e 60 cuidadores divididos, os idosos serão em três grupos (Grupo Urbano Comunitário, GUC, n = 20), Grupo Instituição de Longa Permanência, GILP, n = 20 e Grupo Ribeirinho, GRI, n = 20), selecionados por conveniência. Na coleta dos dados serão utilizados os seguintes instrumentos para os idosos: Inventário sócio demográfico, Mini-exame do Estado Mental (MEEM); Índice de Katz; Escala de depressão geriátrica, Escalas de qualidade de vida WHOQOL-OLD e WHOQOL-BREF, e a Escala Wechsler de Inteligência para adultos (WAIS-III).
Para a coleta com os cuidadores será utilizada a Escala de crenças em relação à velhice, bem como a observação da interação cuidador-idoso. Os dados quantitativos serão analisados com o auxílio do programa estatístico SPSS 22 e os dados qualitativos, pela análise conteúdo de Bardin. Almeja-se que os resultados produzidos possam contribuir para a compreensão da relação entre as crenças dos cuidadores sobre a velhice e a qualidade de vida e o desempenho cognitivo dos idosos, visando a elaboração de propostas e intervenções que possam criar alternativas de viabilizar saúde, dignidade e autonomia aos idosos, ou seja, uma melhor qualidade de vida.
Objetivo Geral: Compreender a relação entre as crenças e práticas de cuidadores (formais e informais) e a qualidade de vida e desempenho cognitivo de idosos em dois contextos (urbano e ribeirinho).
Objetivos Específicos:
1- Identificar o perfil sócio demográfico da amostra de idosos e cuidadores residentes em comunidades urbanas e ribeirinhas do estado do Pará, Brasil.
2- Descrever física e socialmente o ambiente de interação entre idosos e seus cuidadores nos contextos urbano e ribeirinho do estado do Pará, Brasil.
3- Descrever as crenças dos cuidadores em relação à velhice nos contextos urbano e ribeirinho do estado do Pará, Brasil.
4 Aferir a qualidade de vida dos idosos nos contextos urbano e ribeirinho do estado do Pará, Brasil.
5- Aferir o desempenho cognitivo dos idosos nos contextos urbano e ribeirinho do estado do Pará, Brasil.
6- Discutir a relação entre as crenças dos cuidadores (formais e informais) e a qualidade de vida e desempenho cognitivo de idosos em dois contextos (urbano e ribeirinho).
Situação: Em andamento;
Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (3).
Integrantes: Celina Maria Colino Magalhães - Coordenador / Janari da Silva Pedroso - Integrante / Hilma Tereza Torres Khoury - Integrante / Paula Danielle Souza Monteiro - Integrante / Tatiane Bahia do Vale e Silva - Integrante / Jeisiane Lima Brito - Integrante / Rodolfo Gomes do Nascimento - Integrante / Patrícia Fernandes Holanda Carraro - Integrante / Denise da Silva Pinto - Integrante.
Número de produções C, T & A: 4
Número de orientações: 3