TITULO DO PROJETO: “Troca de olhares: as interfaces entre cinema e Filosofia.

COORDENADO PELA PROFª MS. VERÔNICA DE ARAÚJO CAPELO

 

Descrição: O projeto tem por objetivo promover a reflexão e o questionamento de questões filosóficas e socioculturais, por meio de exibições de obras cinematográficas. O projeto tenta articular a narrativa cinematográfica e as tecnologias da informação e, ao mesmo tempo, formar espectadores críticos, que vejam o cinema além dos traços estéticos. A professora escolheu o cinema como elemento de mediação no processo do ensino da Filosofia, procurando evitar a instrumentalização didática do cinema, ou seja, usá-lo apenas para ilustrar ou reafirmar um conteúdo para deixá-lo mais digerível, atraente ou acessível. Ela procura fazer uma análise que privilegia tanto o cinema quanto a Filosofia.

A ideia é desenvolver no público uma educação do olhar, que leve a conjugar o prazer e o encantamento proporcionado pela narrativa cinematográfica, com a atenção requerida por um saber, que é a Filosofia, de modo que abra caminhos para interpretar o que imagens, sons e discurso cinematográfico verdadeiramente expressam. “Assim como para fazer a análise de um livro é preciso saber quem é o autor, para fazer a análise de um filme, é preciso saber sobre o diretor. O expectador precisa prestar atenção no discurso cinematográfico, ou seja, nos elementos que ele utiliza. O projeto visa educar o olhar levando o discente a ver o cinema de uma forma diferente, mostrando qual a intenção e o porquê de determinados elementos serem utilizados. Há emoção na Filosofia e razão no cinema. É isso que o projeto pretende passar.

Exibição do filme, debate e minicursos são os três pilares

A estrutura do projeto é formada por três eixos: a exibição dos filmes na UFPA, seguidos de discussão aberta ao público, a partir do viés filosófico; minicursos sobre cinema e atuação do grupo na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Frei Daniel, localizada no bairro Guamá. Os filmes são escolhidos de acordo com unidades temáticas ou constelações conceituais. Para a discussão, são utilizadas metodologias diferentes na UFPA e na Escola Frei Daniel, em virtude dos diferentes perfis do público-alvo. Procura escolher um filósofo cuja obra possa ajudar na analisar o filme. Por exemplo, no filme Escritores da Liberdade, de Richard LaGravenese, foi tomado como eixo temático para o debate a violência na escola, a crise da autoridade do professor, obullying e a descoberta do mundo por meio da leitura e da escrita. A partir desses eixos, o público inicia uma discussão levando em consideração o viés teórico dos autores que são levados pelo projeto.

Antes de cada exibição, são disponibilizadas, para cada um dos participantes, fichas técnicas, sinopses e uma bibliografia básica. Além de Escritores da Liberdade, estão entre os filmes exibidos pelo grupo Cinema Paradiso, de Giuseppe Tornatore; Músicas do Coração, de Richard Trank; e O Garoto, de Charles Chaplin.

Os minicursos, efetuados na UFPA, foram divididos em quatro módulos, com 12 horas de duração cada: “Breve História do Cinema”, que abordou os primórdios do cinema até a era do cinema digital; “Dados Introdutórios sobre o Discurso Cinematográfico”, os elementos do discurso cinematográfico, tais como argumento, roteiro, plano-sequência, montagem, entre outros; “O Cinema Brasileiro de 1940 a 1960: As Aventuras da Atlântida e da Vera Cruz”, os primórdios do cinema nacional brasileiro e as companhias cinematográficas: Cinédia, Atlântida e Vera Cruz; e “Gêneros e Escolas Cinematográficas”, os gêneros cinematográficos drama, comédia, aventura, suspense e as escolas cinematográficas, como o expressionismo alemão e o naturalismo hollywoodiano. Ao final de cada módulo, foi aplicado um questionário para avaliar o trabalho, além de ter sido distribuído certificados para os participantes.