Laboratório Vinculado ao INCT-ECCE


Assista nossos Vídeos


Sessões em Tempo Real

(Apenas para Professores)

 

O avanço do conhecimento da Psicologia sobre comportamento simbólico pode ser favorecido com estudos experimentais básicos sobre a formação de classes de equivalência entre eventos arbitrariamente relacionados. Pelo menos parte do que tem sido chamado de comportamento simbólico pode ser considerado comportamento operante sob controle de relações arbitrárias entre símbolos e referentes. A dificuldade em construir classes de equivalência em organismos não humanos tem levado a especulações de que linguagem ou nomeação são requisitos para classes de equivalência. Dados disponíveis na literatura sugerem que boa parte da dificuldade em obter classes de equivalência em não-humanos é devida a problemas de inadequação de procedimentos de treino e teste.

Este foi o contexto de interesse científico no qual surgiu a Escola Experimental de Primatas. O empreendimento de pesquisa visava a explorar problemas de procedimento que poderiam contribuir para a dificuldade de obtenção de formação de classes de equivalência em sujeitos não-humanos. Hoje, um conjunto vasto de estudos está em andamento na Escola Experimental de Primatas. Uma boa parte deles ainda objetiva desenvolver procedimentos efetivos para a produção de repertórios discriminativos nos sujeitos que sejam coerentes com o planejamento experimental. Contudo, outros interesses de pesquisa foram se aglutinando: a investigação da visão de cores nos Cebus apella; o estudo e a intervenção nos índices de bem estar de animais de cativeiro; a resolução de problemas e o uso de ferramentas; o desenvolvimento de modelos-animais para pesquisa biocomportamental, são exemplos dessa diversidade de estudos.

Os macacos-prego participam de sessões experimentais diárias onde são apresentados a tarefas discriminativas a serem desempenhadas na tela sensível de um computador ou através da manipulação de objetos. Os procedimentos envolvem o treino de discriminações simples, de pareamento ao modelo por identidade e pareamento arbitrário e testes de verificação de relações de controle e de relações emergentes. Uma variedade grande de manipulações paramétricas e de dimensões sensoriais dos estímulos caracteriza os diferentes estudos em andamento.

Prof. Dr. Romariz da Silva Barros


Para mais informações, leia o artigo:

GALVAO, Olavo de Faria et al . Escola experimental de primatas. Estud. psicol. (Natal), Natal, v. 7, n. 2, July 2002 . doi: 10.1590/S1413-294X2002000200017.

Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
Programa de Pós Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento